O Paradoxo Japonês

O Japão é o décimo maior país do mundo em população e tem a terceira e quarta maior economia em termos de PIB nominal e paridade de poder aquisitivo, respectivamente. Esse magnífico país exibe uma cultura multifacetada, com tradições milenares. 

Agora, uma característica que se destaca no país é o uso dos meios de pagamento no dia a dia dos japoneses. Para uma sociedade tecnologicamente evoluída, parece lógico que o país seria um grande usuário de novas tecnologias para pagamento de despesas diárias.

Em vez de dinheiro (cash), poderíamos imaginar que os japoneses utilizassem o celular ou cartões de crédito, por exemplo.

Os cartões de crédito são aceitos em hotéis e nas lojas grandes das cidades mais importantes, mas o Japão é um dos países desenvolvidos com menor índice de penetração dessa forma de pagamento.

O curioso é que, embora muitos lugares agora aceitem cartões de crédito, Apple Pay e outras formas de tecnologia sem dinheiro, a quantidade real de notas e moedas que circulam no país dobrou em 20 anos, enquanto a economia e a população encolheram nesse mesmo período.

É algo completamente contraintuitivo considerando que o país é um berço de inovação tecnológica.

Fica a pergunta: os japoneses gostam de papel-moeda e moeda metálica? A resposta é sim, o Japão prefere meios físicos. Como afirma a Bloomberg, “as anyone who has visited Japan knows, cash is still king”.

Qualquer um que visite o Japão vai perceber, o dinheiro ainda é rei.
Surpreendentemente o Bitcoin parece estar mudando essa realidade cultural milenar japonesa.

A rapidez com a qual o Japão abraçou o bitcoin chama a atenção exatamente pelo fato de ser um país com grande apego ao dinheiro em cédulas de papel.

O grande paradoxo é que apesar dessa tradição de papel-moeda, um país afeito à tecnologia e disrupção não podia ficar de fora da revolução digital criada pelo mundo cripto e de blockchain. De fato, o Japão tem estado interessado nos desenvolvimentos de tecnologia Bitcoin e blockchaindesde o início.

No Japão já é possível pagar com bitcoins em restaurantes, lojas de equipamentos eletrônicos e até a conta de gás, graças a uma legislação pioneira que gerou a febre do ouro digital no país asiático e fez sua cotação disparar em nível global em 2017.

Então, será que a revolução digital iniciada com o Bitcoin poderá mudar uma tradição tão arraigada na cultura japonesa? Seria algo simplesmente extraordinário. Que façanha hein, Satoshi Nakamoto?


Você sabia que…

…desde março de 2018 a Alemanha considera bitcoin como meio de pagamento, e ainda liberou outras criptomoedas para uso? Também, no Japão, desde abril de 2017, as criptomoedas foram liberadas como meio de pagamento pelo governo japonês.

…nos EUA, Ohio se tornou o primeiro estado a aceitar pagamento de impostos em Bitcoin, em novembro de 2018, e pretende ainda aceitar outras criptomoedas?

…muitos produtos e serviços já podem ser pagos com Bitcoin. Carros, viagens, apps… já passam de 14 mil os estabelecimentos que incluem a criptomoeda como forma de pagamento. Usar moedas virtuais para a aquisição de produtos e serviços começa a ficar cada vez mais comum.


Por Bruno Rocio, Co-fundador do Evolue Chain.

Fonte: Original StartSe e EvolueChain.

Written by Evolue Chain
Evolue Chain é uma iniciativa de criação de conteúdo sobre a tecnologia blockchain, bitcoin, criptoeconomia e investimentos para educar, informar e fomentar o mercado brasileiro. Nosso objetivo é ser referência e autoridade em criptoeconomia como uma fonte segura de notícia e conteúdo para quem deseja entender, se informar e investir. http://evoluechain.com